Guerra da Coreia (1950/53) e Seus Desdobramentos Geopolíticos Atuais (2013)

Um breve resumo por Marcos Bau Brand√£o


O controle territorial da península coreana era pautado em dinastias até o final do século XIX, quando se tornou Império. Em 1905, o Japão força a Coreia a assinar um Tratado* tornando-a um protetorado japonês. Em 1910, o Japão anexa o território coreano.

* Tratado Jap√£o-Coreia de 1905 ou Tratado de Eulsa, onde o Jap√£o ap√≥s vencer a guerra contra os russos (Guerra Russo-Japonesa em 1904/05 disputando os territ√≥rios da Manch√ļria e da Coreia) buscou aumentar sua esfera de influ√™ncia ¬†no leste asi√°tico. As tropas japonesas cercaram o territ√≥rio coreano e for√ßaram o Imperador a assinar o referido Tratado que certificava a Coreia como protetorado do Jap√£o. A partir da√≠ o Jap√£o passou a controlar as rela√ß√Ķes geopol√≠ticas internacionais coreanas, al√©m das rela√ß√Ķes comerciais nos portos da Coreia.

O Jap√£o perdeu a II Guerra ao lutar do lado da Alemanha e da It√°lia (Eixo) e depois da derrota japonesa a Coreia foi dividida provisoriamente, ainda em 1945, pela bipolaridade vigente, em um contexto do que se desenvolveria na ¬†Guerra Fria (especialistas datam o in√≠cio da Guerra Fria em 1947 que coincide com os lan√ßamentos do Plano Marshall e da Doutrina Truman). A pen√≠nsula coreana foi dividida no paralelo 38¬ļ em uma zona de ocupa√ß√£o sovi√©tica (lembremos que nesse per√≠odo a China era aliada da URSS) ao norte e uma zona ao sul, de ocupa√ß√£o norteamericana (vide mapa abaixo).

guerra-da-coreia

Fonte do mapa: Nós e a História.

Haveria elei√ß√Ķes para votar a reunifica√ß√£o do pa√≠s, mas a tens√£o bipolar n√£o permitiu e, em 1948, a Coreia foi dividida oficialmente em dois Estados rivais, com a fronteira fixada no paralelo 38¬ļ. A tens√£o geopol√≠tica crescente gerou a guerra entre as coreias que estourou em junho de 1950, quando as tropas norte-coreanas invadiram terras al√©m do paralelo 38¬ļ (tomaram a capital Seul em um ataque de surpresa), a fim de reunificar o pa√≠s pela for√ßa. N√£o se pode esquecer que, em 1949, Mao Ts√©-Tung junto aos comunistas tinha tomado o poder na China e a pen√≠nsula coreana era um dos territ√≥rios de interesse para o aumento da influ√™ncia comunista na regi√£o.

O presidente americano Harry Truman aproveitou o boicote** da URSS ao Conselho de Seguran√ßa da ONU¬†e fez tal Conselho aprovar a interven√ß√£o militar das pr√≥prias tropas da ONU em meio ao conflito coreano. Sendo assim, o General Douglas MacArthur contraofensivamente atacou o territ√≥rio norte-coreano, at√© perto da fronteira com a China. As tropas chinesas responderam ao contra-ataque e for√ßaram as tropas de McArthur ao recuo no paralelo 38¬ļ.

**O boicote soviético ao Conselho foi por causa do não reconhecimento do mundo ocidental ao recém empossado regime comunista da China.

A morte do líder soviético Stalin, em 5 de março de 1953, contribuiu para as duas coreias assinarem um armistício, no mesmo ano, em uma vila chamada Panmunjon, entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte, que produziu um cessar-fogo e ficou conhecido como Armistício de Panmunjon.

Korean_War_Montage

Imagens da Guerra da Coreia. Fonte: Wikimedia Commons.

Importante ressaltar que Armistício é um acordo de cessar-fogo que geralmente precede um Acordo de Paz. No caso das coreias não houve acordo de paz, e por isso, a Coreia do Norte, em março de 2013 anunciou que irá romper todos os pactos de não agressão com a vizinha Coreia do Sul, assinados após a Guerra da Coreia, em 1953. A Coreia do Sul é aliada dos EUA e do mundo capitalista e avisou que qualquer ataque feito pelo país rival será respondido a altura, até a ponto de fazer a Coreia do Norte sumir do mapa.

O an√ļncio de rompimento do armist√≠cio acontece ap√≥s uma s√©rie de testes nucleares feitos pela Coreia do Norte em fevereiro de 2013 e que provocaram mais san√ß√Ķes econ√īmicas impostas ao pa√≠s pelo Conselho de Seguran√ßa da ONU.

coreias

Figura que mostra local de ataque em novembro de 2010, quando a marinha da Coreia do Norte fez disparos a ilha sul-coreana de Yeonpyeong, no mar Amarelo. Dois militares sul-coreanos morreram e 20 pessoas ficaram feridas. A figura serve também para mostrar o poder de fogo dos mísseis norte-coreanos.

A Coreia do Norte adota um regime pol√≠tico fechado e comandado pelo ditador¬†Kim Jong-Um. Seu √ļnico aliado na atualidade √© a China.

Portanto, diante dos fatos √© pertinente pensar que h√° a emin√™ncia de uma guerra nuclear. Uma outra vertente vai na dire√ß√£o de¬†uma (perigosa) estrat√©gia geopol√≠tica da pr√≥pria Coreia do Norte para negociar com os EUA uma redu√ß√£o das san√ß√Ķes econ√īmicas do Conselho de Seguran√ßa da ONU, que nos √ļltimos tempos s√≥ t√™m aumentado, com o intuito de dificultar os financiamentos do programa nuclear norte-coreano.

Enquanto isso, soldados norteamericanos e sul coreanos est√£o em alerta m√°ximo.

Veja abaixo reportagem sobre o assunto do Jornal do SBT de 12 de fevereiro de 2013.

Veja abaixo infogr√°fico que mostra o estimado poder de fogo da Coreia do Norte.

poder-de-fogo-norte-coreano

Fonte: Uol Notícias.

Deixe uma resposta