Matriz geográfica para o Programa de Avaliação Seriada 3ª etapa – 2007/2009.

O foco para o PAS da 3ª etapa abarca um contexto ético-político e possibilita a reflexão não apenas a respeito dos valores que orientam as ações das pessoas em particular, mas dos membros de sociedades inteiras e grupos de interesses como, por exemplo, aqueles que direcionam o uso das ciências e suas aplicações nas corporações voltadas para as novas tecnologias da informação e da comunicação em tempo real, a biotecnologia, as tecnologias espaciais e nucleares. A energia, na sociedade contemporânea, é objeto de análise, em que aspectos políticos e socioeconômicos associados ao seu uso racional merecem especial atenção. Quando se amplia o conceito de energia, torna-se possível perceber alterações do ambiente e identificar novos cenários energéticos surgidos no século XX.

Atendo-se mais espacificamente à geografia e sua interdisciplinaridade, clássicos da análise política ajudam, por sua vez, como O Manifesto Comunista, de Marx e Engels, colaboram para o processo de instrumentalização teórico-prática, que deve considerar a inserção do ser humano em um contexto mais amplo de transformação das identidades e dos estados nacionais e suas relações com as mudanças científicas, culturais, tecnológicas, religiosas, artísticas e literárias, especialmente aquelas desencadeadas no século XX. Nesse contexto, compreende-se a constatação dos referidos autores, ainda no século XIX, de que, no mundo dominado pelo capital, “tudo que é sólido se desmancha no ar”.

MANIFESTO COMUNISTA

Manifesto do Partido Comunista que teve sua primeira edição em 21 de fevereiro de 1848. Copie e cole no seu navegador o endereço que segue para baixar gratuitamente – http://www.4shared.com/file/140490933/6ca0a338/Manifesto_Comunista.html

As técnicas de análise desenvolvidas pela Ciência Política (e que a geopolítica trabalha) contribuem para que ele possa tomar uma decisão com base na identificação dos atores, cenários, relações de força, acontecimentos, estratégias e táticas que compõem uma determinada conjuntura, seja ela, pessoal, local ou nacional. Vale salientar que, no plano nacional, tais técnicas contribuem para compreensão da organização política brasileira: a relação entre os poderes, a dinâmica partidária, o papel dos movimentos sociais e dos sindicatos. Ainda nesse aspecto, é importante a consideração das políticas sociais voltadas para educação, saúde, segurança, emprego e combate à pobreza

A possibilidade de formar idéias sobre classes, grupos e categorias nas quais se insere é a oportunidade de pensar em conceitos mais abrangentes como ser humano e humanidade. Do mais específico ao mais geral, do mais científico ao mais ideológico, todas as áreas do conhecimento podem colaborar para a formação de uma autoconsciência do indivíduo sobre os processos que o determinam e suas possibilidades de autonomia, pessoal e coletiva. Assim, nesta etapa, os conceitos de indivíduo, cultura, Estado e participação são abordados a partir de uma visão política.

Como aporte para a análise das sociedades, em particular a capitalista, Marx e Engels estabeleceram a tipologia das Formações Históricas e Sociais a partir do Modo de Produção Dominante. Tal formulação é apresentada sinteticamente no Manifesto do Partido Comunista. Vale discutir a validade desse modelo e sua contribuição para as Ciências Sociais, debatendo categorias, como classe social, estamento, ordem, clã, grupo social, elite, assim como o conceito de Luta de Classes, mesmo porque para Marx a relação do homem com a natureza, mediada pelo trabalho, era o aspecto fundamental da atividade humana, mas o capitalismo industrial organizou de tal forma o processo de trabalho, que se acabou convertendo a relação entre o trabalhador e a natureza em uma caricatura do que era antes, reduzindo os trabalhadores a coisas, a alienados dos seus produtos, do método de produzi-los e da própria natureza.

Neste objeto, incluem-se estudos a respeito dos processos vivenciados pelos Estados nacionais europeus, asiáticos, americanos e brasileiro — seus confrontos e lutas. Além desses, há também os que se referem às guerras e às revoluções nas seguintes dimensões: os conflitos sociais e ideológicos, as lutas operárias, as lutas rurais, o movimento feminista, o movimento negro e os direitos civis, a reforma agrária, as manifestações estudantis, os povos e a preservação de seus territórios, os direitos humanos, os conflitos étnicos e religiosos, as organizações civis e não-governamentais, os direitos e deveres dos cidadãos, as diferentes experiências e vivências políticas dos Estados contemporâneos. No que diz respeito ao cenário brasileiro, destacam-se as manifestações políticas e sociais no decorrer da República, a participação política, a relação entre indivíduo, Estado e sociedade civil organizada nos momentos de ruptura da ordem democrática.

Video que mostra alguns acontecimentos do período da Ditadura Militar no Brasil.

Nesse contexto, cabe a discussão da formação, da expansão, da dominação e das crises dos modelos econômicos contemporâneos. Observam-se o crescimento e a consolidação das diferentes e complexas redes de produção de riquezas: os mecanismos de concentração e distribuição, as alianças sociais suscitadas, as políticas econômicas adotadas, a divisão internacional do trabalho, os projetos socialistas, o imperialismo, a formação e a atuação dos grandes monopólios, a formação dos blocos geoeconômicos e dos mercados comuns, confrontos entre modelos antagônicos e as crises dos modelos econômicos contemporâneos — capitalismo e socialismo.

Com todo esse aporte, voltando-se para a geografia cabem as perguntas: O que seria a geopolítica? Como caracterizá-la no mundo contemporâneo? Quais são os grandes pilares do pensamento geopolítico? Há relação entre o processo histórico, a geopolítica, as estratégias e a configuração do espaço mundial? Como compreender a relação entre elementos do quadro natural e os conflitos, estratégias e tensões geopolíticas em várias regiões do mundo? O que foi a Guerra Fria? Quais eram os elementos geopolíticos que formavam a base de sustentação dessa guerra? O que a diferenciava dos conflitos convencionais? Como compreender a configuração da economia mundial capitalista do pós-Segunda Grande Guerra no ambiente geopolítico da Guerra Fria? Por que o fim da Guerra Fria não acabou com os conflitos e as tensões geopolíticas mundiais? Quais as características e conseqüências socioeconômicas e espaciais dos processos de mundialização/globalização? Dentro da ordem mundial contemporânea, qual é o papel do Estado? Quais as características das tendências geopolíticas do mundo contemporâneo? Considerando a atual conjuntura internacional, quais as perspectivas geopolíticas vislumbradas?

Tais questões apontam para o estudo da consolidação do poder marítimo inglês, estadunidense e japonês e para a oposição proposta pelo poder terrestre apregoado pela URSS, possibilitando a compreensão da ordem mundial do período da Guerra Fria. Nesse período, é importante destacar a Europa como palco principal da confrontação das superpotências e os elementos geopolíticos e espaciais resultantes desses fatos. Na análise da crise do sistema internacional da Guerra Fria, ressalta-se que o equilíbrio estratégico bipolar entrou em colapso com a queda do muro de Berlim e com a desintegração do bloco soviético na Europa Oriental. A partir daí, verificar que elementos internos contribuíram para isso, qual o resultado da geopolítica e da estratégia na configuração do Espaço mundial e na definição das relações internacionais e como a geopolítica estadunidense e sua estratégia de hegemonia sobre a América Central e do Sul está definindo uma geografia para o continente americano, assim como são as relações entre diferentes tensões geopolíticas e conflitos com a disputa por riquezas naturais, domínio oceânico, recursos energéticos e território.

landkarte_1989

As ‘duas’ Alemanhas

Um traço marcante e de respostas para tais verificações, está na globalização com seu centro nas cidades mundiais, catalisadoras da função de localização e distribuição dos centros financeiros e sedes das empresas transnacionais, o que ajuda a esclarecer a tipologia do espaço mundial atual.

Fonte: adaptado da matriz de avaliação divulgada no site do CESPE/UNB. Os videos e figuras foram incluídos pelo autor do post.

Deixe uma resposta