Climas e Climogramas do Brasil


S√£o determinados pelo movimento das massas de ar que atuam no nosso territ√≥rio. √Č do encontro dessas massas de ar que vai se formando toda a climatologia brasileira.

Por possuir 92% do territ√≥rio na zona intertropical do planeta, grande extens√£o no sentido norte-sul e litoral com forte influ√™ncia das massas de ar oce√Ęnicas, o Brasil apresenta predomin√Ęncia de climas quentes e √ļmidos. Em apenas 8% do territ√≥rio, ao sul do Tr√≥pico de Capric√≥rnio, ocorre o clima subtropical, que apresenta maior varia√ß√£o t√©rmica e certo delineamento das esta√ß√Ķes do ano.

Cinco s√£o as massas de ar que influenciam o clima do Brasil como explicadas abaixo e demonstradas nos mapas que seguem:

mEc ‚Äď Massa Equatorial Continental ‚Äď Nasce no Noroeste da Amaz√īnia e √© quente e √ļmida devido √† floresta ombr√≥fila e latifoliada, sua capacidade de evapotranspira√ß√£o e seus mananciais perenes. Atua durante todo o ano na Amaz√īnia, com predom√≠nio no inverno na Amaz√īnia ocidental. Por ser uma massa quente e √ļmida, no ver√£o sua √°rea de atua√ß√£o √© abrangida para quase todo o Brasil levando grande quantidade de chuvas para as regi√Ķes Norte, Centro-Oeste, parte do Nordeste, Sudeste e Sul (influenciando nas chuvas de ver√£o at√© Santa Catarina).

Por um corredor de vales leva grande umidade contribuindo para as chuvas de ver√£o da regi√£o Sudeste do Brasil ao se cruzar com outra massa quente e √ļmida vinda do Oceano Atl√Ęntico, a mTa ‚Äď Massa Tropical Atl√Ęntica. Tais chuvas s√£o intensas e associadas √† ocupa√ß√£o irregular nas encostas dos centros urbanos causam cat√°strofes naturais como os desmoronamentos/escorregamentos acontecidos recentemente em Santa Catarina (dez. 2008), Rio de Janeiro (abr. 2010) e Regi√£o Serrana do RJ (Petr√≥polis, Teres√≥polis e Nova Friburgo ‚Äď jan. 2011).

mEa ‚Äď Massa Equatorial Atl√Ęntica ‚Äď Massa quente e √ļmida que nasce no Atl√Ęntico Norte pr√≥ximo ao arquip√©lago dos A√ßores. Forma os ventos al√≠sios (sopram do tr√≥pico em dire√ß√£o ao Equador) e atinge o litoral do Norte e Nordeste do Brasil no equin√≥cio de primavera e solst√≠cio de ver√£o.

mTa ‚Äď Massa Tropical Atl√Ęntica ‚Äď Quente e √ļmida e se forma no Atl√Ęntico Sul pr√≥ximo ao Tr√≥pico de Capric√≥rnio. Atua durante todo o ano nos litorais das regi√Ķes Nordeste, Sudeste (chuvas de relevo ou orogr√°ficas na Serra do Mar) e Sul do Brasil. No ver√£o leva chuvas desde o litoral das regi√Ķes NE, SE e S ao interior da regi√£o Centro-Oeste (regi√£o do Distrito Federal) chegando a atingir o Pantanal matogrossense levando umidade. No inverno provoca chuvas frontais no litoral do NE, SE e S ao se cruzar com a mPa ‚Äď Massa Polar Atl√Ęntica.

Atuação das massas de ar no verão da América doSul. Nota-se a atuação restrita da fria mPa e maior abrangência das massas quentes devido à incidência solar no Trópico de Capricórnio. Fonte: ADAS, Melhem. Panorama geográfico do Brasil. 4ed. rev. e ampl. São Paulo: Moderna, 2004, p. 149.

mTc ‚Äď Massa Tropical Continental ‚Äď Quente e seca, forma-se na depress√£o do Chaco (prolongamento do Pantanal em territ√≥rio boliviano e paraguaio). Na primavera e no ver√£o encontra-se com a mEc ‚Äď Massa Equatorial Continental contribuindo para precipita√ß√Ķes no interior da regi√£o Centro-Oeste. No inverno contribui para a esta√ß√£o seca no oeste do Estado de Minas Gerais e na regi√£o Centro-Oeste at√© o Pantanal ao se cruzar com a mPa ‚Äď Massa Polar Atl√Ęntica que chega seca nessa regi√£o e traz as baixas temperaturas no outono-inverno.

mPa ‚Äď Massa Polar Atl√Ęntica ‚Äď Nasce fria e √ļmida no Atl√Ęntico Sul nas imedia√ß√Ķes do litoral da Patag√īnia e chega ao Brasil fria e seca (seu resto de umidade √© precipitado na regi√£o Sul do Brasil). Sabendo-se que quanto mais uma massa de ar se desloca do seu centro de origem perde suas caracter√≠sticas originais, a mPa atua nas regi√Ķes Sul (ventos peri√≥dicos minuano e pampeiro) e Sudeste com mais intensidade e no inverno, pela menor incid√™ncia solar no hemisf√©rio sul, chega a atingir o litoral da regi√£o Nordeste, provocando chuvas ao encontrar-se com a mTa ‚Äď Massa Tropical Atl√Ęntica que √© quente e √ļmida. Outra vertente de penetra√ß√£o no inverno faz a mPa chegar ao vale do Tapaj√≥s na Amaz√īnia provocando quedas de temperatura em um fen√īmeno chamado friagem.

Atuação das massas de ar no inverno da América do Sul. Maior atuação da mPa devido à menor incidência solar no hemisfério sul. Fonte: ADAS, Melhem. Panorama geográfico do Brasil. 4ed. rev. e ampl. São Paulo: Moderna, 2004, p. 150.

Este artigo atende aos fins de leitura e pesquisa e pertence ao blog GeoBau (http://marcosbau.com). Proibida a reprodu√ß√£o pelo Art. 184 do C√≥digo Penal e Lei 9.610/98 de Direitos Autorais. PL√ĀGIO √Č CRIME. DENUNCIE.¬†

Climogramas do Brasil

Tendo por base a din√Ęmica das massas de ar, o cientista Arthur Strahler prop√īs uma classifica√ß√£o clim√°tica que estuda a din√Ęmica atmosf√©rica atrav√©s da circula√ß√£o das massas de ar (climatologia din√Ęmica).

Veja o mapa que segue e alguns climogramas brasileiros e suas respectivas explica√ß√Ķes.

Climogramas

Clima Equatorial

Fica nas proximidades da linha do Equador, abarcando a Amaz√īnia, norte de Mato Grosso e oeste do Maranh√£o. Chove durante o ano todo, e em grande quantidade; √© bastante √ļmido e a temperatura varia pouco no decorrer ao longo do ano, com m√©dia de 26¬ļ C. O climograma de Manaus (AM), localizada nessa faixa de clima, traz informa√ß√Ķes sobre a pluviosidade e a temperatura. Repare como, no gr√°fico, a quantidade de precipita√ß√£o (representada pelas barras verticais) √© bem alta, atingindo mais de 300 mil√≠metros no m√™s de mar√ßo, com apenas uma pequena queda no meio do ano (em julho, agosto e setembro), quando fica abaixo dos 100 mil√≠metros. A pequena varia√ß√£o de temperatura, t√≠pica do clima equatorial, tamb√©m pode ser vista no climograma de Manaus; a linha horizontal, formada pelas temperaturas m√©dias de cada m√™s, quase n√£o sobe nem desce, ficando em torno dos 26¬ļ C.

Clima Tropical, Tropical T√≠pico, Tropical Semi-√ļmido ou ainda Tropical alternadamente √ļmido e seco

Predominante no territ√≥rio brasileiro, pega toda faixa do centro do pa√≠s, leste do Maranh√£o, Piau√≠ e oeste da Bahia e de Minas Gerais. Inverno e ver√£o s√£o esta√ß√Ķes bem marcadas pela diferen√ßa de pluviosidade: o ver√£o √© bastante chuvoso e h√° seca no inverno. No climograma de Goi√Ęnia (GO), conseguimos enxergar essa diferen√ßa pela varia√ß√£o na altura das barras de precipita√ß√£o: em julho, a precipita√ß√£o chega a quase zero, e em janeiro ultrapassa 250 mil√≠metros. A temperatura no clima tropical √© alta e n√£o varia muito; a m√©dia fica entre 18¬ļ C em locais de serra e 28¬ļ C na maior parte do territ√≥rio.

Clima Tropical Semi-√Ārido

√Č o clima das zonas mais secas do interior do Nordeste. Caracteriza-se pela baixa umidade, pouca chuva e temperaturas elevadas. O climograma da cidade baiana de Juazeiro, na divisa com Pernambuco, representa graficamente essas caracter√≠sticas: nas barrinhas de precipita√ß√£o, a m√≠nima de chuva chega a 1,7 mil√≠metro, em agosto, com a linha de temperatura variando entre cerca de 24,5¬ļ C e 28,5¬ļ C, m√©dias t√©rmicas elevadas. A chuva se concentra entre os meses de novembro e abril, mas o total anual de precipita√ß√£o n√£o chega a 550 mil√≠metros ‚Äď o volume √© inferior ao atingido em apenas dois meses (fevereiro e mar√ßo) no clima equatorial.

Clima Tropical de Altitude

√Č o clima das √°reas com altitude acima de 800 metros em Minas Gerais, No Esp√≠rito Santo, no Rio de Janeiro e em S√£o Paulo. Os ver√Ķes s√£o quentes e chuvosos e os invernos, frios e secos. Isso pode ser visto no climograma acima, que mostra as m√©dias de temperatura e pluviosidade de Belo Horizonte (MG). No inverno, as barras de chuva atingem o m√≠nimo de cerca de 10 mil√≠metros, e, no ver√£o, passam de 300 mil√≠metros. Em compara√ß√£o ao clima tropical, o tropical de altitude tem o mesmo comportamento pluvim√©trico, mas as m√©dias anuais de temperatura s√£o menores, ficando em torno dos 20¬ļ C ‚Äď no inverno, as temperaturas s√£o bem mais baixas.

Clima Tropical Atl√Ęntico ou Tropical √ömido

Esse clima cobre quase todo o litoral do pa√≠s: come√ßa no Rio Grande do Norte e vai at√© o Paran√°. A quantidade de chuvas varia conforme a latitude da localidade. Por exemplo, enquanto no Nordeste chove muito no inverno, no Sudeste chove mais no ver√£o, como pode ser visto no climograma de Jo√£o Pessoa (PB) e no do Rio de Janeiro (RJ). A varia√ß√£o de temperatura √© maior na por√ß√£o mais ao sul do litoral. No Rio de Janeiro, oscila entre 21,5¬ļ C e 26,5¬ļ C e, em Jo√£o Pessoa, entre 24¬ļ C e 28¬ļ C.

Clima Subtropical (no hemisfério Norte é chamado de Temperado)

√Č o clima das regi√Ķes ao sul do tr√≥pico de Capric√≥rnio: sul de S√£o Paulo, Paran√°, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A quantidade de chuva n√£o varia muito durante o ano, mas as temperaturas mudam bastante: o inverno √© frio e o ver√£o, quente. No climograma de Curitiba (PR), por exemplo, a temperatura oscila entre 12,5¬ļ C e 20¬ļ C, enquanto as barras de precipita√ß√£o apresentam pouca varia√ß√£o (a m√©dia anual √© de 110 mil√≠metros).

Fonte da parte de climogramas: Guia do Estudante: geografia. Mais que tropical. S√£o Paulo: Abril, 2009, p. 48, 49.


144 thoughts on “Climas e Climogramas do Brasil

  1. Professor, muito bom esse seu blog! isso me ajuda muito nos meus trabalhos…
    Gostaria de saber o climograma de alguns paises que predomina o clima tropical √ļmido-seco.
    agrade√ßo…e muito obrigado!!!

    • Eu √© que agrade√ßo a visita e as palavras Jhuly! Quanto ao climograma, acho que voc√™ quis dizer tropical semi-√ļmido (uma esta√ß√£o seca e outra chuvosa). Os pa√≠ses no globo em que predominam esse clima: Am√©rica do Sul: regi√£o Centro-Oeste do Brasil; √Āfrica: regi√£o de predomin√Ęncia da savana (Nig√©ria, Rep. Centro-Africana, Uganda, Tanz√Ęnia, Mo√ßambique, Z√Ęmbia, Malaui, Angola…); √Āsia: sul da √ćndia; Austr√°lia: extremo norte de Western Australia, Northem Territory e Queensland.

    • Elino,
      Quanto maior a latitude (mais distante do Equador), mais obliquamente os raios solares vão incidir sobre a Terra, portanto, haverá perda de calor (veja que isso não tem ligação com tempo nublado).
      Quanto ao tempo nublado, n√£o h√° como responder, pois as massas de ar atuantes no Brasil (e no mundo) s√£o muito din√Ęmicas para se determinar locais com mais ou menos tempo nublado durante o ano.

  2. boa noite tenho 12 anos e o professor pediu que apresentasse-mos o climograma da minha cidade s√£o pedro da aldeia rj. ondo posso encontrar? muito obrigado

  3. Boa noite professor, eu n√£o sou seu aluno, mas estou fazendo um trabalho sobre os climogramas do Brasil e gostaria de saber se √© possivel voc√™ me explicar o POR QU√ä que os climogramas de cada regi√£o s√£o como s√£o, ou seja, por que chove em determinado clima em determinada parte do ano… ou por que a temperatura diminui…, consegue entender minha d√ļvida?
    Se n√£o for muito incom√īmodo pedir isso, o senhor poderia me enviar as respostas para essas quest√īes?
    Agradeço de antemão!!!

    • Ol√° Vin√≠cius,
      Os climas s√£o dispostos dessa forma, pois a climatologia √© bastante din√Ęmica e a resposta que quer est√° ligada aos fatores que influenciam no clima (latitude, altitude, continentalidade, maritimidade, massas de ar, correntes marinhas, el ni√Īo, la ni√Īa, vegeta√ß√£o, urbaniza√ß√£o…). Para tanto, as respostas que procura daria para escrever um outro texto sobre o assunto, mas pesquise sobre os fatores citados que vai clarear o seu entendimento.
      Eu é que agradeço a visita e comentário!

  4. Ol√° professor… Antes de tudo quero parabeniza-lo pelo excelente trabalho que aproxima pessoas leigas como eu de assuntos t√£o importantes em nossas vidas quanto as varia√ß√Ķes clim√°ticas.

    Por√©m outro motivo pelo qual escrevo √© que vou me casar ao ar livre na cidade de Goi√Ęnia no dia 24 de junho de 2012 as 09:00 hs da manh√£… Ser√° que √© poss√≠vel calcular, mesmo que aproximadamente a possibilidade de chuvas e a temperatura para esse dia e hor√°rio?

    Venho pesquisando porém nao obtive respostas conclusivas. Sei que é muito difícil obter exatidão mas é que chuvas demais ou calor demais podem estragar o casamento.

    Desde já agradeço e espero não ter dado um abacaxi muito grande para o senhor descascar ^_^

    • Jefferson,
      Voc√™ n√£o achar√° respostas conclusivas, pois n√£o √© poss√≠vel obter a exatid√£o se no dia do seu casamento ir√° chover ou n√£o. Posso te tranquilizar e dizer que para casar ao ar livre, voc√™ escolheu um m√™s dos que menos chove na regi√£o central do Brasil pela penetra√ß√£o de uma massa que j√° chega seca. As poucas precipita√ß√Ķes acontecidas nos meses de junho, julho e agosto em Goi√Ęnia (veja o climograma da cidade no post) geralmente acontecem no final da tarde (quando o Sol reduz sua incid√™ncia e ap√≥s a evapora√ß√£o acontecida durante o dia, a condensa√ß√£o de nuvens chega ao seu ponto de satura√ß√£o durante o in√≠cio da noite, pois para acontecer a precipita√ß√£o atmosf√©rica/chuva √© necess√°rio existir o choque entre uma massa mais quente e uma mais fria e carregada de umidade).
      Quanto √† temperatura no inverno, a m√©dia durante o dia acredito que oscile entre 22¬ļ e 28¬ļ graus celsius, ou seja, nada que a popula√ß√£o n√£o esteja acostumada.
      Por fim, tudo indica que n√£o ir√° chover… Ent√£o, bons preparativos e parab√©ns pelo cas√≥rio!

      • Muito obrigado pela resposta… A explana√ß√£o sobre a maior possibilidade de chuvas no per√≠odo da tarde j√° me deixa tranquilizado, pois o casamento ser√° no per√≠odo matutino…

        Parabenizo pela incr√≠vel paci√™ncia ao estudar e comentar assuntos individualizados sem interesse de uma coletividade. Te desejo prosperidade, sa√ļde e muita paz. OBRIGADO!

  5. Ol√° Marcos Brand√£o a explica√ß√£o do seu blog √© perfeita, mas me responde uma pergunta por favor… Qual a pluviosidade representa no grafico de Santa Catarina?

    • Obrigado Andrea!
      Santa Catarina tem clima subtropical √ļmido com 1.500mm de chuvas anuais bem distribu√≠das durante o ano.

  6. Ol√° Marcos,
    Estou fazendo um trabalho de clima em Laguna.
    Peguei os dados pluviométricos de todos os meses do ano.
    Se o senhor pudesse me ajudar, e que nos meses de agosto e setembro ocorre os maiores indices pluviom√©tricos,gostaria de saber porque. e se tem influencia as massas de ar, ou o El ni√Īo.
    Obrigada

    • Ol√° Maria Fernanda,
      Laguna √© de clima subtropical e sofre o efeito da maritimidade. Os maiores √≠ndices pluviom√©tricos est√£o no inverno por causa da a√ß√£o da Massa Polar Atl√Ęntica que chega na regi√£o Sul do Brasil cheia de umidade. Nesse per√≠odo do ano (final do inverno), a Massa Tropical Atl√Ęntica come√ßa a atuar que por ser uma massa quente e √ļmida tamb√©m contribui para tal pluviosidade. Quanto ao El ni√Īo n√£o posso afirmar o mesmo, pois √© preciso saber o ano do climograma e se esse fen√īmeno atuou no Pac√≠fico nessa √©poca (El ni√Īo n√£o tem uma periodicidade c√≠clica – por exemplo, nas cat√°strofes da regi√£o serrana do RJ em 2011 houve a atua√ß√£o do EL ni√Īo levando chuvas para o territ√≥rio brasileira e contribuindo para uma maior pluviosidade na regi√£o citada).
      Espero ter ajudado na sua d√ļvida.

  7. Ol√° Marcos Bau,
    Tenho algumas d√ļvidas sobre um fator particular que influencia no clima: a altitude. Quanto maior a altitude, menor a temperatura do ar e menor a press√£o atmosf√©rica (ar mais rarefeito) SEMPRE?

    • Sempre, pois se a press√£o atmosf√©rica √© o peso do ar, menos mol√©culas de oxig√™nio voc√™ ter√° na altitude.

  8. Ol√° Marcos Brand√£o!Este conte√ļdo est√° √≥timo,mas,eu queria mesmo climograma dos pr√≥pios climas e n√£o das cidades.Se puder colocar ficarei grata.Obrigada.

  9. Ol√°, Professor. Primeiramente, parab√©ns pelo trabalho e pelo excelente site. Tenho a seguinte pergunta: vou ter que escolher uma cidade de m√©dio porte para morar nas regi√Ķes sul e sudeste e a minha prefer√™ncia √© por lugares mais frios com maior √≠ndice pluviom√©trico. Quais cidades se encaixariam nos requisitos acima? Grato.

    • Obrigado Rodolfo!
      Sobre as poss√≠veis cidades que voc√™ procura, pelo frio e alta pluviosidade s√≥ vejo localidades na regi√£o Sul do Brasil. Citarei por cidade e entorno cruzando informa√ß√Ķes de pluviosidade durante todo o ano e al√©m da latitude, principalmente a altitude que permite uma temperatura no ver√£o mais amena.
      No Paran√° imedia√ß√Ķes da capital Curitiba (S. Jos√© dos Pinhais, Arauc√°ria, Colombo at√© Ponta Grossa a oeste). Santa Catarina √© o que mais se aproxima do que voc√™ quer nas imedia√ß√Ķes de S√£o Joaquim e Orleans mais ao Sudeste ou Ca√ßador e Santa Cec√≠lia mais para o Noroeste do Estado. Rio Grande do Sul s√≥ na parte Norte em Vacaria e Lagoa Vermelha ou um pouco mais ao Sul da Serra Geral em Caxias do Sul, Canela ou Gramado.
      Sugiro que voc√™ antes de morar visite o lugar para ver o que mais lhe agrada, pois nem s√≥ de clima vive uma cidade…

  10. olá ,professor!.gostei muto da sua explicação sobre clima e climograma. Estou estudando para mestrado e sua aula aclarou meu entendimento.O importante para mim é a clareza e concisão utilizadas, o que me fez entender sem dificuldades. Parabéns por ajudar-me.
    Van

    • N√£o tenho Jana√≠na, mas voc√™ tem que especificar ou a cidade ou o tipo clim√°tico do climograma que quer (no caso do RN envolve os climas: litor√Ęneo √ļmido e tropical semi-√°rido).

  11. Marcos, achei a estrutura do blog muito boa – as imagens s√£o esclarecedoras e o conte√ļdo est√° bem organizado, o que √© dif√≠cil encontrar hoje em dia. Parab√©ns! Acho que vai ajudar muito nos meus exerc√≠cios de Geografia =D

    • Paula,
      Fevereiro em Goi√Ęnia ao ar livre provavelmente voc√™ vai casar debaixo da chuva trazida pela mEc!
      (depois de janeiro e dezembro, os meses que mais chovem no Planalto Central são novembro, fevereiro e março)

  12. parabens??gostei desse site seu…..consegui ate faze o meu trabalho?????
    vc poderia me dizer a localizaçao e distribuiçao geografica de cada clima?????

  13. Boa Noite Professor- Acessei esta p√°gina, quando , por curiosidade, procurei saber at√© que ponte o” Equin√≥cio” influencia na quadra invernosa aqui no alto sert√£o Paraibano. Gostaria, se n√£o fosse incomodo, uma explica√ß√£o sobre esses fen√īmenos – Outro sim: Qual a perspectiva de chuvas este ano aqui para a nossa regi√£o.

    Gentilmente, agradeço antecipadamente a vossa compreensão
    Irineu- São José de Piranhas- Paraiba

    • Ol√° Irineu,
      o que chamam de quadra invernosa tem a duração de fevereiro a maio, portanto pega a maior parte do equinócio de outono no hemisfério sul que dura de 21 de março a 21 de junho. Como a incidência perpendicular do Sol está sobre o Equador nos equinócios (no caso do Brasil está saindo da perpendicularidade do Trópico de Capricórnio) há grande capacidade de evaporação dos oceanos e possibilidade de chuvas nessa época do Sertão a depender da Zona de Convergência Intertropical.
      Saiba mais sobre os equinócios em: http://marcosbau.com.br/geogeral/fusos-horarios-solsticios-equinocios-e-coordenadas-geograficas/

  14. achei q vc podia deixar copiar e colar poxa fui fazer minha pesquisa mais como √Ī pude copiar o climograma √Ī tive bons resultados, mas o site √© muito bom eu s√≥ acho q o problema √© na ora do Ctrl+C e no Ctrl+V.
    Site bom

Deixe uma resposta